26.2.04

ORIGENS
Entre as leituras da Regra de S. Bento, das Cantigas de Escárnio e Mal Dizer e de alguns textos de José Mattoso, ando mais pela Idade Média do que pelos caminhos da bd… Mas hoje, tentando pensar nos pontos comuns, voltei a uma das mais belas obras monumentais da Idade Média galego-portuguesa: as Cantigas de Santa Maria, de Afonso X, o Sábio. E está lá tudo, a beleza da versificação, o código poético da época e… as histórias aos quadradinhos. Vejam lá:


Cantigas de Santa Maria, séc. XIII

2 comentários:

Anónimo disse...

As Cantigas de Santa Maria merecem bem que sejam divulgadas entre nós porque são escritas em galaico-português. E também pelas iluminuras que as decoram. Ando a tentar obter a iluminura da "Árvore de Jessé" que lá existe e que é de grande interesse para os meus trabalhos.
Quem me poderá dar essa ajuda?

U Ó Mãe Que Dava Pulos disse...

Existe um exemplar na Biblioteca da Gulbenkian
J.C.